quinta-feira, 12 de julho de 2018

Crianças usam relógios como tornozeleiras eletrônicas, denunciam professores

“Quando eu crescer, quero ser como o Melk”, dizem alunos, fazendo referência ao homem apontado como comandante do tráfico de drogas na região.
 
Assim, há crianças que, na escola, utilizam relógios pretos no tornozelo, simulando tornozeleiras eletrônicas. Os equipamentos são, normalmente, usados por quem cumpre penas em regime aberto ou semiaberto.

“Quando eles aparecem aqui com os relógios nos tornozelos, a gente manda eles tirarem. Porém, se negam, dizendo que os pais deles usam e que não vê problema nisso”, contou uma professora que não teve a identidade revelada.
 
“O sonho deles é se integrar ao tráfico. Sempre que podem, se identificam como integrante de facções, assinalam nas paredes e nos banheiros da escola”, ressaltou outro professor.
 
Os profissionais da Educação poderam que a influência da criminalidade se dá porque é a referência tida pelas crianças. A figura do criminoso "demonstra riqueza e poder".

Nenhum comentário: